Um rapaz de 23 anos foi preso na manhã deste domingo (28), suspeito de ter estuprado uma criança de 6 anos, no bairro Santa Clara, em Cataguases. O fato ocorreu durante um aniversário e foi registrado pela manhã.

Conforme consta no registro da ocorrência, uma testemunha de 26 anos relatou que se encontrava na residência da vítima onde ocorria uma festa de aniversário. Ao passar por um dos quartos da casa, viu o autor parcialmente nu, tentando introduzir o pênis nas nádegas da criança. A testemunha chamou outras pessoas que se esconderam e viram quando o autor se masturbou na frente da vítima. Ato contínuo, eles invadiram o recinto e retiraram a criança. O autor foi contido pelas testemunhas que acionaram a Polícia Militar através do telefone 190.

A mãe da criança contou para os policiais que tão logo tomou conhecimento do fato, conversou com sua filha e perguntou o que teria ocorrido. A criança contou para a mãe que o rapaz teria tirado seu short e passado a mão em sua vagina. 

Outras duas testemunhas confirmaram o fato para os policiais.

O jovem, identificado como "L.S.B.", recebeu voz de prisão em flagrante delito e acabou confessando o abuso. Para a polícia ele disse que foi até a residência com o objetivo de participar do aniversário de sua sobrinha e que em um dado momento, ao passar por um dos quartos, percebeu a criança brincando sozinha. Ele confessou ter abaixado o short da menina e praticado o abuso. Em seguida ele foi surpreendido por várias pessoas que o seguraram e lhe atacaram com socos na região da cabeça, contou.

O autor foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de plantão em Leopoldina onde teve o flagrante confirmado, sendo direcionado em seguida para o presídio de Cataguases.

Matéria continua após a publicidade

Matéria continua após a publicidade

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos