Para quem estuda em período integral sabe o quão difícil é conseguir arrumar um emprego devido à falta de tempo disponível. A alternativa encontrada pelo estudante Gabriel Jard, de 21 anos, que está no 6º semestre do curso de educação física na UFMS de Corumbá, foi catar latinhas e vendê-las durante as férias. O dinheiro arrecadado já tem destino certo: a compra de um notebook novo para poder dissertar o seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso).

Matéria continua após a publicidade

Na reta final do curso, Gabriel conta que tinha a opção de recorrer aos pais para poder comprar o aparelho, mas decidiu ‘andar com as próprias pernas’ e trabalhar para conseguir comprar.

“Como eu comecei a estudar em período integral, pensei em várias coisas para trabalhar no meu recesso, mas não ia adiantar porque logo voltaria ás aulas e eu ia precisar largar o emprego. Aí comecei a reparar que na minha caminhada eu via muitas latinhas nas ruas, terreno baldio. Aí pensei: ‘seu eu arrecadar, terei uma grana até o começo das aulas’”.

A partir daí, Gabriel passou a acordar cedinho e caminhar pela cidade para recolher as latinhas e vender. Com um saco plástico cheio de latinhas nas costas, Gabriel comenta que muitas pessoas perguntaram se ele não tinha vergonha do que estava fazendo, mas ele explica que jamais sentiu-se envergonhado e, inclusive, aprendeu muito com o trabalho.

Matéria continua após a publicidade

O estudante, que arrecadou muitas latinhas por onde passava em Corumbá, teve muita ajuda para recolher os alumínios e agora conta com mais solidariedade dos moradores para continuar o trabalho.

Gabriel poderia bem pedir diretamente a ‘grana’, mas ao invés disso, fez postagem nas redes sociais para que as pessoas o ajudassem recolhendo latinhas para doar a ele.

É difícil explicar para as pessoas, porque eu sei que na cabeça delas é diferente. Eu encaro isso como um trabalho qualquer. Eu não enxergo uma lata ali no chão, mas sim uma moeda que está ali e eu posso recolher.

Para comprar o notebook ainda será preciso recolher e vender muitas latinhas, disse. “Falta demais [dinheiro para comprar], mas eu estou recebendo muitas ajudas das pessoas. Algumas me ligam e pedem o endereço para me entregar, mas como eu moro em uma parte alta da cidade, peço para que deixem na casa de uma amiga. As vezes vou até as casas e pego”, contou.

Com o retorno das aulas, amigos do estudante já pensam em como ajudá-lo na empreitada. Rifas, “vaquinha” online e até pontos de arrecadação dentro do campus já são levados em conta para conseguir ajudá-lo.

A postagem foi feita no perfil pessoal do rapaz e também na página “Segredos UFMS CPAN” e já contava com mais de mil ‘curtidas’ e mais de 400 compartilhamentos.

Quem desejar ajudar Gabriel, pode contatá-lo no número 98052968.

Link para a vakinha aqui.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos