A vassoura está correndo sobre a política sul-matogrossense. Se Puccinelli que estava cotado pelo MDB como nome forte para a governadoria já é tido como carta fora do baralho devido sua prisão na última semana, agora é a vez de Zeca do PT, cotado para a senadoria, ser barrado antes da corrida.

O petista condenado por conta da Ação Civil de Responsabilidade por Ato de Improbidade Administrativa cumulada com pedido de Declaração de Nulidade de Contrato Administrativo e condenação por danos morais proposta pelo MPE/MS, teve seu registro barrado pela Lei da Ficha Limpa, logo que político condenado fica impedido de registrar a candidatura. (Veja mais) 

Matéria continua após a publicidade

O despacho foi assinado pelo desembargador Sérgio Martins Fernandes, da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), publicado no último dia 31. A decisão é resultado da condenação do candidato ao senado em segunda instância, por atos de improbidade administrativa que resultaram em lesão ao patrimônio público na "farra da publicidade". Porém, ainda cabem recursos.

Em áudio que está sendo compartilhado pelas redes sociais, Zeca do PT acusa o despacho como fruto de uma perseguição com propósitos políticos que teriam iniciado com denúncias realizadas contra ele através de informações dadas pelo ex-proprietário do Diário do Pantanal, o já falecido Aldair Martins.

Também citou as ações do promotor Marcos Antonio Martins Sottoriva, que segundo ele, desde 2014 lhe fazia perseguição política brutal. Em 2015, Zeca já havia acusado Sotoriva de perseguí-lo, colocando notícias na mídia para, a partir delas, tentar lhe investigar, perseguir e lhe imputar crimes.
 

Matéria continua após a publicidade

Essa impugnação está ocorrendo provocada por uma denúncia que foi comprada lá atrás por Aldair Martins, que um procurador de justiça chamado Sotoriva tomou para si, numa perseguição brutal e política sobre minha história, eu que sempre, como governador, prestigiei o Ministério Público. Me impôs oito, nove, dez ações ou processos com mesmo objeto, sendo que vários deles já foram arquivados, inclusive este que ele decidiu me condenar pessoalmente sem parecer de seus colegas. Esta denúncia foi arquivada por um juiz de 1ª instância daqui de Campo Grande por absoluta falta de provas. No Ministério Público, o Sotoriva recorreu, quando o processo estava no tribunal em grau de recurso, e de repente, tem essa decisão pessoal, unilateral, MONOCRÁTICA, eu diria, do senhor Sérgio Martins, encaminhando uma decisão dele pessoal quando em grau de recurso para a turma. E a turma, um conjunto de 5 desembargadores, que não tomaram decisão ainda, uma decisão pessoal do Martins, já encaminharam para a Justiça Eleitoral, dizendo que sou condenado e que não posso ser candidato. Insisto: ou é má-fé ou é perseguição política.

Zeca do PT

Zeca ainda lembrou a relação do desembargador Sérgio Martins como assessor jurídico do ex-governador André Puccinelli.

Permitam-me lembrar aqui que o senhor Sérgio Martins durante muito tempo foi assessor de André Puccinelli, nomeado por Puccinelli, e isto nos causa muita estranheza. Meus advogados já estão tomando as iniciativas necessárias, nós iremos denunciar o senhor Sérgio Martins no CNJ.

Zeca do PT

O deputado afirmou que está muito tranquilo e que irá recorrer junto aos seus advogados, e que o despacho não muda em nada a sua candidatura.


Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos