Opinião

Corumbá, a cidade que é tratada como “come-resto”

0 Comentários

Ontem eu recebi com muita tristeza o cancelamento da edição 2017 do Festival América do Sul. Ainda que usem um joguinho de palavras ao dizer que foi um “adiamento” ou que a data foi “transferida” - uma vez que não há lógica alguma em dizer que o evento de um ano será realizado no ano seguinte, pois a edição de 2018 será a edição DAQUELE ANO - o fato é que acabaram com uma festa local criada há catorze anos, apenas por pura incompetência administrativa.

Digo incompetência, porque é um evento que existe em um calendário anual, em uma programação há CATORZE ANOS, não é algo  que foi criado da noite para o dia. Você percebe claramente a INCOMPETÊNCIA e o DESCASO, quando você vê que algo que deveria estar OBRIGATORIAMENTE na planilha de custos orçamentários simplesmente é descartado como se fôssemos nada.

Corumbá é uma cidade TURÍSTICA. Ainda que sejamos a SEGUNDA cidade em arrecadação de impostos do ESTADO por conta do minério e do gás natural, o turismo é a única saída financeira para a nossa cidade, que fica distante 440 km da Capital no meio do NADA, cercada de Pantanal por todos os lados e fazendo fronteira com um país incomparavelmente mais pobre que o nosso. Sendo assim, eventos como esse são ESSENCIAIS para manter o fluxo de turistas em nossa região, mantendo a economia ativa e o dinheiro circulante.

A pior e mais esdrúxula razão que alguém possa ter inventado para justificar a não-realização do Festival é justamente “ahhhhhh, mas quase não tem turistas no final de ano, porque acabou a temporada de pesca” - pois o objetivo do FAS é justamente ESSE! CRIAR um novo mercado, uma nova categoria de turistas na região que não seja o da pesca predatória! Cadê os homens de visão empresarial desse Governo? Não tem ninguém formado em Turismo trabalhando aí? Pelamordedeus!

E o que mais impressiona é a COVARDIA com que anunciaram o CANCELAMENTO do FAS 2017: convocaram apenas a imprensa campo-grandense LÁ EM CAMPO GRANDE para reportar o fiasco. Cadê a CORAGEM do Secretário de Cultura do Estado em fazer essa coletiva aqui em Corumbá? O evento pode ser de vocês, mas quem foi feito de besta (após receber datas, atrações, reservas em hotéis, aumento do estoque de comida em restaurantes)  foi o POVO CORUMBAENSE, viu? Mas é aquela coisa: o FAS é um evento do GOVERNO, a bola é dele e ele pode pegar e sair do campo a hora que quiser e na hora que bem entender, não é mesmo? 

Como se já não bastasse o Governo do Estado ter trabalhado INCANSAVELMENTE para desviar a rota bioceânica que JÁ EXISTIA, passando por Corumbá rumo à Bolívia para chegar no Oceano Pacífico - e que agora será através do trecho Paraguai/Campo Grande (fazendo jus aquela famosa frase da região “querem levar tudo de Corumbá para Campo Grande”), não satisfeitos pelo jeito agora querem acabar com o nosso turismo.

A indignação é maior quando você sabe que o Governo ajudou a realizar a Festa da Linguiça de Maracaju - cidade-natal do Governador Reinaldo Azambuja - (Abril, R$ 100 mil) Festival Porco do Rolete em Junho (R$ 55 mil), em São Gabriel do Oeste; o Festival de Inverno de Bonito (com 149 atrações, 130 regionais - custo de R$ 1,4 milhões para os cofres públicos -  em Julho), movimentando o fluxo turístico dessas cidades, sem contar com as “comemorações” dos 40 anos do ESTADO - um evento de tal magnitude e importância, que deveria ter sido pulverizado em todo o Estado para reforçar a importância que cada região tem para esta unidade federativa. Deveria, porém as celebrações ocorreram apenas na CAPITAL, como se apenas Campo Grande existisse em Mato Grosso do Sul.

Sendo assim, o que Corumbá poderá esperar de um Governo que até o presente momento não cumpriu suas promessas de campanha em relação à construção do Hospital Regional na cidade (ASSISTA AO VÍDEO) e que até agora não casou o dinheiro que assumiu responsabilidade junto à Prefeitura e ao FONPLATA? Eu quero ver quando chegar DEZEMBRO e o povo do bairro PADRE SASSIDA não estiver pisando em asfalto ( e de boa qualidade, viu? ) e CHIAREM para a Administração local porque vocês passaram um PRAZO para que isso acontecesse. Mais uma promessa governamental que eu não estou botando fé - tendo em vista o cenário desenvolvido até o momento. 

Até agora não vimos nenhuma reforma sendo feita na Santa Casa de Corumbá para a ampliação dos 42 leitos extras prometidos e nem um tijolinho foi assentado para a construção do novo Pronto-Socorro Municipal - outra promessa do Governador Reinaldo Azambuja, que não se cansa de fazer visitas em Corumbá e distribuir sorrisos e discursos, mas de poucas ações concretas e que realmente farão a MUDANÇA DE VERDADE da nossa triste realidade.

Infelizmente esse é o triste resultado por não termos NEM UM representante na Assembléia Legislativa ( o último que tivemos JOGOU FORA a cadeira que Corumbá tinha na Assembléia, para virar Prefeito na Cidade Branca, uma estupidez que como vocês vêem, até hoje nos traz sérias consequências), o que nos faz ter que contentar com os restos e sobras que a Capital nos manda.

Reinaldo está indo por um jogo perigoso, um jogo que eu já vi acontecer, nas última eleições em Corumbá. Se a tática do Governo for começar obras e caprichar nas festas em ANO ELEITORAL, pode esquecer. O último Prefeito que passou por aqui tentou fazer a mesma coisa e foi rechaçado nas urnas. Aí pode chorar (enfim, algo que é feito com maestria nessa administração estadual), que o pranto é livre:

Afinal de contas NÓX vive no mato, mas NÓX não é BEXTA.

Fábio Marchi
Um bugre que gosta de escrever.

Comentários

Atenção:

Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook, que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza, por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores.