Opinião

Mulher Comum e Notável

0 Comentários

Na língua latina Aurum significa ouro.

Na língua portuguesa, nome de mulher, Áurea.

Na linguagem do nosso coração ela é a mãe.

A passos firmes caminha pelas ruas de Corumbá, zelando da própria casa, dos compromissos cumpridos na data certa.

Na Rua Joaquim Murtinho, a Vila da Dona Áurea, quantas famílias, outros solteiros.

Uma diversidade de pessoas com as quais ela trata de negócios imobiliários, trata de assuntos diversos, assuntos simples, cotidianos, de pessoas pobres em sua lida pela sobrevivência.

Olhando para ela, tão pequena, delicada, nem se pode imaginar o tamanho da fé que guarda dentro do peito.

Mas ali, todos sabem, mesmo que ninguém avise: Dona Áurea é crente. Logo cedo sua voz forte ecoa o canto de louvor, por entre as janelas das casas de tábua da ainda silenciosa Vilinha. Depois a leitura bíblica, por vezes, entremeada por lágrimas.

Que firmeza no cuidado da fé que lhe enche o coração! Nos dias de culto lá vai ela, seu caminho é a casa do Senhor, na Rua Cabral. Os longos cabelos presos num coque, simples vestido, sandálias baixas nos pés. Nas mãos, a Bíblia e a harpa.

Todos sabem também que a Dona Áurea trava, diariamente, luta difícil: são doentes três dos seus sete filhos.

Quanta tristeza esta mãe não padece? Que dor! Mas ninguém vê dor alguma manifesta na murmuração, no desespero. Não! Ninguém vê.

Quem de perto olha, compreende de onde vem a condição de se manter em pé, como uma coluna. Ela aprendeu com o exemplo do profeta Daniel. E dentro de sua casa, se pode ver que ela se recolhe ao seu quarto e ali, em hora e lugar determinados, ora pelos seus filhos, por si, ora por nós.

De poucas palavras, de poucas amizades, por certo, quantas vezes, ela passa desapercebidamente. Mas quem se apercebe, quem olha de perto sabe que ali está uma grande mulher, uma mulher de fé inabalável e coração valente.

Dona Áurea, 97 anos de idade, num passo lento, silenciosa, olhar tranquilo que nos encoraja à vida. Mulher de ouro, mulher de fé!

Raquel de Oliveira Fonseca
Raquel é Professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Comentários

Atenção:

Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook, que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza, por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores.