O Verdadeiro NewBorn Americano!

Faça já as fotos do seu bebê !!!

Conheça o Studium A

Sobre o Jornal:

O Correio da Manhã é um jornal sul-mato-grossense criado em 2015, originalmente sob o nome de MS Diário, sendo um produto da agência de comunicação e marketing digital - Avantiz. Todos os direitos das matérias publicadas pertencem aos seus respectivos autores.

Fone e WhatsApp

(67) 99199-2448

Nosso E-mail

[email protected]

Geral G1/Redação 14/Janeiro/2022 / Última edição às 06:50:22

Com incerteza sobre Carnaval de rua, sambistas continuam preparação de tradicional evento em Corumbá

As escolas e os blocos da cidade estão recebendo recursos para que possam comprar materiais que possam ser reutilizados, caso o evento seja adiado.


A prefeitura de Corumbá, informou na quinta-feira (13), através de uma coletiva de imprensa, que ainda não foi decidido se o município irá realizar o tradicional Carnaval de rua. A decisão oficial deve ser publicada até o fim do mês de janeiro.

“Vamos esperar até o final do mês para decidirmos se haverá o carnaval de rua. Eu, como cidadão corumbaense, tendo ou não o Carnaval, acho que temos que respeitar primeiro a saúde. Mas, como prefeito, além da saúde, também temos que olhar para a economia. A festa gera de 3 mil a 4 mil empregos diretos, fomenta a economia em cerca de 15 milhões de reais. É uma receita para nosso comércio, para muitas famílias que trabalham informalmente para ganhar o sustento. Por causa desses fatores, não descartamos a realização, vamos tomar a decisão no final do mês”, afirmou.

Mesmo toda a indecisão, os sambistas não deixaram de ensaiar e, de acordo com o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá (Liesco), Victor Raphael, os preparativos para o mais tradicional desfile de rua segue a todo vapor.

“As escolas estão se preparando, o calendário já está no carnaval da cidade e enquanto ele não é cancelado ou adiado, a gente vai se planejando. O carnaval das escolas de samba pode ser feito de forma mais ordenada, em que podemos colocar máscara e distanciamento para os desfilantes, então existe essa diferença com relação a outras modalidades carnavalescas. Mas estamos acompanhando junto das autoridades de cultura e saúde o andamento do processo”, disse Victor ao g1.

O prefeito reforça que as escolas e os blocos da cidade estão recebendo recursos para que possam comprar materiais que possam ser reutilizados, caso o evento seja adiado.

Com 2.482 casos em 24 horas, MS tem maior número de confirmações de Covid desde junho

Em um dia, Mato Grosso do Sul contabilizou 2.482 novos casos de Covid-19 e quatro óbitos, conforme boletim epidemiológico divulgado na quinta-feira (13) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). O número de confirmações é o maior registrado em um dia desde 9 de junho do ano passado, quando houve 3.034 casos da doença.

A média móvel dos últimos 7 dias é de 1.173,4 registros a cada 24 horas. Na quinta-feira (13) o estado chegou a 389.880 infectados com o vírus desde o início da pandemia em Mato Grosso do Sul.

Os novos casos de hoje trazem Campo Grande à frente, com 1.026 novos casos, seguida por Nova Andradina (186), Maracaju (161), Bonito (112), dentre outros.

Em meio à nova onda da Covid, o número de novos casos desta quinta-feira supera também o acumulado do mês de novembro e dezembro no estado.

O boletim traz ainda que nas últimas 24 horas foram registrados 4 óbitos, elevando o total de vítimas fatais em MS para 9.750 e a média móvel em 1,9 óbitos por dia, nos últimos 7 dias, além de taxa de letalidade de 2,5%.

Os novos óbitos foram registrados em Campo Grande (2), Bandeirante (1) e Pedro Gomes (1).

Influenza

Além dos novos casos de Covid, Mato Grosso do Sul também confirmou mais uma morte e 11 casos de Influenza. O total de óbitos provocados pela doença chegou nesta quarta-feira (13), a 17 e o de pessoas infectadas a 216, de acordo com a SES.

Os novos casos são de moradores de Bela Vista, Corumbá, Rio Verde de Mato Grosso e pessoas que vivem em Três Lagoas, Costa Rica, Anaurilândia e São Gabriel do Oeste.

O óbito por Influenza foi registrado em Corumbá, sendo um homem de 47 anos, de Campo Grande, que não tinha nenhuma outra doença preestabelecida.

A SES confirmou que o óbito foi registrado pelo vírus Influenza A H3N2. A vítima, de 50 anos, tinha comorbidade e morava em Corumbá.

Comente esta matéria

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.