O Verdadeiro NewBorn Americano!

Faça já as fotos do seu bebê !!!

Conheça o Studium A

Sobre o Jornal:

O Correio da Manhã é um jornal sul-mato-grossense criado em 2015, originalmente sob o nome de MS Diário, sendo um produto da agência de comunicação e marketing digital - Avantiz. Todos os direitos das matérias publicadas pertencem aos seus respectivos autores.

Fone e WhatsApp

(67) 99199-2448

Nosso E-mail

[email protected]

Internacional Top Midia News 13/Janeiro/2021 / Última edição às 15:36:36

Estranho, mas real! Hacker invade cinto de castidade eletrônico e ‘sequestra’ pênis de usuário

Mensagem do sequestrador: "Seu pênis agora é meu."


Hackers aproveitaram uma falha de segurança em um cinto de castidade eletrônico masculino e “sequestraram” o pênis de um usuário do aparelho. O hacker prendeu o pênis do rapaz e pediu dinheiro para liberá-lo. As informações são do IG e Istoé.

Produzido por uma empresa chinesa chamada Qiui, o cinto de castidade Cellmate possui uma falha em sua interface de comunicação que permite o bloqueio do aparelho pela internet, e impede que ele reaja aos sinais de desbloqueio enviados por um servidor.

Foi o que aconteceu a um usuário do aparelho que, de acordo com a Vice News, se identifica apenas como Robert e disse que o invasor pediu um resgate de 0,02 Bitcoin (cerca de R$ 3,5 mil). O caso foi descoberto por um pesquisador de segurança do site Vx Underground, que coleta amostras de malware. Ele disse que o usuário do cinto de castidade recebeu uma mensagem de um hacker dizendo “seu pênis agora é meu!”.

Como funciona

O aparelho foi projetado para travar um anel de metal sob o pênis do usuário, mas em caso de invasão de um hacker que bloqueie o destravamento, é necessário o uso de ferramentas de corte para “libertar o membro”, uma vez que não há uma função de emergência que o abra.

A vulnerabilidade nos aparelhos foi descoberta em junho de 2020 e a empresa fez uma atualização do software do aparelho corrigindo a maior parte dos problemas, porém deixou a versão antiga no ar. E apenas os novos usuários tiveram acesso à correção. Quem utilizava o aparelho antes da atualização não foi informado que deveria baixá-la.

Comente esta matéria

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.