O Verdadeiro NewBorn Americano!

Faça já as fotos do seu bebê !!!

Conheça o Studium A

Sobre o Jornal:

O Correio da Manhã é um jornal sul-mato-grossense criado em 2015, originalmente sob o nome de MS Diário, sendo um produto da agência de comunicação e marketing digital - Avantiz. Todos os direitos das matérias publicadas pertencem aos seus respectivos autores.

Fone e WhatsApp

(67) 99199-2448

Nosso E-mail

[email protected]

Corumbá G1 19/Novembro/2021 / Última edição às 08:37:38

Fissura em rocha suspende atividades em Mina da Vale, em Corumbá.

Segundo a mineradora, o “desplacamento de rocha”, ou desprendimento de lascas, foi registrado durante a limpeza do minério.


O desprendimento de fragmentos de parte de uma rocha no teto da mina subterrânea Urucum, controlada pela mineradora Vale, a cerca de 22 km de Corumbá, no Pantanal, fez as atividades no local serem suspensas. Sem vítimas, a situação foi registrada no último domingo (14).

Segundo a mineradora, o “desplacamento de rocha”, ou desprendimento de lascas, foi registrado durante a limpeza do minério. Foto enviada à rede de TV local mostra como ficou o local, após o ocorrido.

Com cerca de 120 trabalhadores ativos, a mina mantém equipes realizando a extração de manganês. Com a suspensão dos trabalhos até dezembro, a Vale informou em nota, que investigação foi aberta para apurar o ocorrido e que providências estão sendo tomadas para resolver a situação.

Além disso, no período de paralisação, um novo método de trabalho será desenvolvido, no local, segundo a empresa. A nova prática deve ser validada “pela equipe técnica envolvida”.

Enquanto o retorno ao trabalho não for aprovado, a mineradora ressalta que o local do desplacamento “estará acessível apenas para atividades essenciais livres de riscos, como inspeção geotécnica e monitoramento do sistema de bombeamento, visando a segurança de todos os envolvidos”.

Todos os trabalhadores que atuavam na operação da mina serão, temporariamente, realocados para outras atividades.

Querem explicação

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas de Corumbá e Ladário (Sintrexcol), José do Carmo Fernandes afirmou que audiência foi convocada para cobrar esclarecimentos à empresa responsável pela mina. Porém, ainda não há uma data para o encontro ser realizado. O caso foi denunciado ao Ministério Público do Trabalho (MPT).

Comente esta matéria

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.