O Verdadeiro NewBorn Americano!

Faça já as fotos do seu bebê !!!

Conheça o Studium A

Sobre o Jornal:

O Correio da Manhã é um jornal sul-mato-grossense criado em 2015, originalmente sob o nome de MS Diário, sendo um produto da agência de comunicação e marketing digital - Avantiz. Todos os direitos das matérias publicadas pertencem aos seus respectivos autores.

Fone e WhatsApp

(67) 99199-2448

Nosso E-mail

[email protected]

Polícia Midiamax 09/Setembro/2020 / Última edição às 15:24:08

Menina de 13 anos usa WhatsApp para denunciar que foi estuprada pelo irmão e avô em MS

Ela pediu ajuda para uma psicóloga da Assistência Social


Na última semana, uma menina de 13 anos denunciou estupros e abusos que sofreu no âmbito familiar nos últimos anos. Ela é moradora em Sidrolândia, cidade a 70 quilômetros de Campo Grande, e foi vítima do próprio irmão e do marido da avó.

Segundo a denúncia, a mãe da criança perdeu a guarda após ser presa por tráfico de drogas. Apesar disso, quando ainda morava com a mãe em Campo Grande, a menina foi estuprada pelo próprio irmão, de 16 anos. Assim, conforme o Conselho Tutelar, a família abafou o caso e a menina foi morar com a avó em Sidrolândia.

Já vivendo com a avó, a criança passou a ser assediada pelo marido da idosa, um homem de 74 anos. Segundo informações, por várias vezes a menina acordou no meio da noite com o suspeito em cima dela, tocando os órgãos genitais da menina. Com isso, ela chegou a falar pra avó o que estava acontecendo, mas a mulher não quis acreditar.

Então, aconselhada pela mãe e por uma tia, a menina fugiu de casa com um rapaz de 20 anos, com quem passou a ter um relacionamento – o qual mesmo assim também caracteriza estupro. Após a série de crimes cometidos contra a menina, ela entrou em contato com uma psicóloga da Assistência Social, pelo WhatsApp.

Foi assim que a assistente acionou o Conselho Tutelar, que procurou a vítima. Com isso, ela foi ouvida sobre o caso e encaminhada para a delegacia, onde os crimes foram registrados no dia 4 de setembro. Agora, os casos de abuso sexual são investigados.

Além disso, a menina chegou a relatar que temia estar grávida, já que teve relacionamento com um adolescente de 15 anos. Por causa disso, pediu ajuda ao Conselho Tutelar e fez os exames, que deram negativo.

Comente esta matéria

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.