O Verdadeiro NewBorn Americano!

Faça já as fotos do seu bebê !!!

Conheça o Studium A

Sobre o Jornal:

O Correio da Manhã é um jornal sul-mato-grossense criado em 2015, originalmente sob o nome de MS Diário, sendo um produto da agência de comunicação e marketing digital - Avantiz. Todos os direitos das matérias publicadas pertencem aos seus respectivos autores.

Fone e WhatsApp

(67) 99199-2448

Nosso E-mail

[email protected]

Geral G1 14/Setembro/2020 / Última edição às 08:46:58

Operação Matáá: PF busca por responsáveis por queimadas que destroem o Pantanal de MS

Durante a investigação, foi realizada perícia nas áreas afetadas e oitivas dos envolvidos.


A Polícia Federal (PF) faz nesta segunda-feira (14), em Corumbá e em Campo Grande, buscas por responsáveis por queimadas em áreas de preservação permanentes e na Serra do Amolar, no Pantanal de Mato Grosso do Sul.

O objetivo da operação Matáá é cumprir 10 mandados de busca e apreensão e integra a investigação criminal sobre o dano a 25 mil hectares de vegetação da região, que fica na divisa com o Mato Grosso. Para chegar aos endereços dos alvos, os policiais estão indo até de barco. Muitos são em áreas de difícil acesso.

Conforme a PF, os suspeitos de colocarem fogo na região poderão responder pelos crimes de dano a floresta de preservação permanente, dano direto e indireto a unidades de conservação, incêndio e poluição (Art. 54, da Lei no 9.605/98), cujas penas somadas podem ultrapassar 15 anos de prisão.

Durante a investigação, foi realizada perícia nas áreas afetadas e oitivas dos envolvidos. As ordens judiciais foram expedidas pela 1ª Vara Federal de Corumbá.

A operação foi denominada Matáá, que significa fogo no idioma guató, é em referência aos índios pantaneiros Guatós que vivem nas proximidades das áreas atingidas.

Comente esta matéria

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.