O Verdadeiro NewBorn Americano!

Faça já as fotos do seu bebê !!!

Conheça o Studium A

Sobre o Jornal:

O Correio da Manhã é um jornal sul-mato-grossense criado em 2015, originalmente sob o nome de MS Diário, sendo um produto da agência de comunicação e marketing digital - Avantiz. Todos os direitos das matérias publicadas pertencem aos seus respectivos autores.

Fone e WhatsApp

(67) 99199-2448

Nosso E-mail

[email protected]

Capital Redação 06/Maio/2021 / Última edição às 10:11:58

Professor preso por estuprar cinco meninas em Campo Grande, ensinava’ como fazer sexo oral

Professor se aproveitava da amizade que criou com as meninas, para praticar atos libidinosos.


O professor de 32 anos, preso por estuprar cinco meninas em um lar beneficente, em Campo Grande, as ‘ensinava’ como fazer sexo oral nele e também como deviam mandar nudes.

A delegada Franciele Candotti, adjunta da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca) e responsável pelas investigações, disse que o suspeito passou por depoimento nessa quarta-feira (5), mas ele permaneceu em silêncio e disse que falaria somente em juízo.

Ainda conforme a delegada, o professor “se aproveitava da amizade que criou com as meninas”, que são adolescentes entre 12 a 16 anos, para praticar atos libidinosos e, enquanto elas faziam sexo oral, eram filmadas.

Segundo as investigações, as meninas também enviavam fotos nuas, se masturbando e o professor armazenava todo este material em três notebooks, apreendidos na casa dele nessa quarta-feira (5). No lar beneficente nada de ilícito foi encontrado.

“O professor também aparece nas imagens e as vítimas se reconheceram nestas filmagens, bem como o local, que era a sala de informática do lar beneficente. O local inclusive foi reformado recentemente, trocaram o piso e a administradora do local também confirmou ser a sala”, ressaltou a delegada.

Entenda o caso

A polícia cumpriu mandado de busca e apreensão contra o suspeito nessa quarta-feira (5). Ele já vinha sendo investigado há 2 meses. Segundo a polícia, na casa dele foram encontrados provas que permitiram a prisão em flagrante.

“Ele vem praticando esses delitos há anos, porque em 2015, ele foi condenado pela prática desse crime [estupro de vulnerável]. Na época, ele foi desligado do Lar e depois foi novamente contratado e lá, ele ficou mais seis anos”, explicou na ocasião a delegada.

A polícia continua com as investigações e acredita que existem mais vítimas.

Comente esta matéria

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.