Por:

Desemprego cai: conheça a alternativa adotada pela população

A taxa de desemprego caiu para 9,8%, sendo a mais baixa registrada desde 2015, quando estava em 8,3% e a menor desde o trimestre encerrado em janeiro de 2016, possuindo mais de 97 milhões de brasileiros ocupados. Com a pandemia, a preocupação de buscar uma renda que não fosse tão convencional cresceu entre a população, aumentando a procura para a prestação de serviços, principalmente nos de entregas. 

"Acreditamos que o crescimento do mercado de delivery no país já era algo esperado, mas que foi acentuado pela pandemia. De repente, inúmeras pessoas queriam receber suas compras de mercado na porta de casa, ou comer algo legal para sair um pouco da rotina, do cotidiano monótono, por conta disso, vivenciamos essa expansão", explica Altamar Assis, fundador da Sis Express, uma empresa oferecem serviços de entregas para todo o Brasil.

Por conta da grande demanda de entregas, o aumento da procura para prestar os serviços de delivery disparou. De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o número de brasileiros que trabalham em aplicativos de entrega de diversas mercadorias cresceu 979,8% entre 2016 e 2021.

"Vimos essa alta procura na nossa própria empresa, ela nasceu no Rio de Janeiro, mas conforme a alta demanda pela prestação do serviço de delivery foi surgindo, a Sis Express já possui sedes em 22 estados do país, exceto em Alagoas e em Sergipe, esses locais servem para os entregadores descansarem durante o dia", afirma Altamar.

Apesar do sucesso nacional, a startup espanhola Comprar Acciones divulgou os dados gerais, em sua pesquisa foi constatado que o mercado global de delivery online de comida aumentou em 27% no ano de 2020, tendo o lucro de US$ 136 bilhões, aproximadamente R$725 bilhões, por enquanto que em 2019, antes da pandemia, o lucro tinha sido de US$ 107 bilhões, aproximadamente R$570 milhões.